08/02/2010

Experimentações Mediúnicas

Ao leitor espírita não habituado ao interesse pelo campo da pesquisa espírita, gostaria de sugerir a leitura do livro cujo título usamos igualmente nesta matéria. O livro, de edição CELD, de autoria de L. Palhano Junior (1), traz ainda o subtítulo "A propósito das pesquisas psíquicas de Willian Crookes".

Willian Crookes foi notável químico e físico inglês; viveu numa época de grandes homens da ciência e igualmente de grandes descobertas científicas que mudaram a história da humanidade. Respeitado e muito considerado como homem de ciência, foi procurado por Florence Cooke (2) – médium de grande potencial mediúnico na área de materializações de espíritos – e utilizando métodos científicos de observação e experimentação –, comprovou cientificamente a existência e manifestação dos espíritos, especialmente através das materializações do Espírito Katie King que, durante tres anos, submeteu-se ao critério científico de Crookes. Este, por sua vez, teve a coragem de publicar o resultados de suas pesquisas, todas sob rigoroso método de ciência pura.

Assim como Wallace Leal V.Rodrigues, que também focou sua atenção no assunto através do livro Katie King (3), o livro de Palhano é rico de informações na área da pesquisa. Todo leitor que se entregar, ávido de novos conhecimentos, terá na obra um tesouro de informações. Recomendamos, pois, com muita ênfase, a obra, especialmente para estimular o contato com o campo científico de pesquisa dos fenômenos produzidos pelos espíritos. Diga-se de passagem, atualmente um tanto esquecido.

Ocorre dizer, como sabe o leitor, que o Espiritismo apóia-se sobre tríplice aspecto: ciência, filosofia e religião. O aspecto religioso tem prevalecido em nossas instituições; o aspecto filosófico tem bom alvo de enfoques e abordagens, mas o aspecto científico está um pouco esquecido. Há que se pensar nos fenômenos que ocorrem sob ação mediúnica ou até mesmo anímicas. Psicografia, psicofonia, materializações e tantas outras manifestações podem e devem ser objeto de pesquisa. Com método científico, é óbvio, onde estão presentes a observação atenta, a experimentação, especialmente através do raciocínio e do bom senso.

Tais pesquisas podem e devem ser retomadas, desde que com conhecimento de causa e descartando quaisquer posturas místicas. Porém, há que se considerar que cientistas espíritas podem dedicar-se a esta área e publicar abordagens com linguagem acessível ao grande público, para que este aspecto científico do Espiritismo seja resgatado e novamente evidenciado, equilibradamente ao lado dos aspectos filosófico e religioso, para que a inteireza da magistral Doutrina Espírita esteja sempre à disposição para ser conhecida e vivida integralmente.

Meus caros amigos, o Espiritismo é proposta viva de renovação e felicidade. Seu fértil campo de conhecimento e pesquisa está a nos convidar a esta postura aberta de conhecer, pesquisar, para entender...



(1) Palhano foi notável pesquisador, publicou diversas obras e deixou expressiva contribuição à pesquisa espírita. Seu nome completo: Lamartine Palhano Junior.

(2} Florence era jovem de apenas 15 anos e sua potencialidade mediúnica permitiu anos de pesquisa na área de materializações; submeteu-se humildemente aos critérios científicos de observação dos fenômenos que se produziam por seu intermédio.

(3) Edição da Casa Editora O Clarim, atualmente esgotado.