24/08/2010

Um sonho possível – Orson Peter Carrara

Todo mundo precisa de estímulo. Sempre que somos estimulados, incentivados, temos a grande possibilidade de vencermos nossas dificuldades, de galgarmos degraus de progresso e de construção da dignidade. Quando abandonados, exceto se tivermos em nós uma grande bagagem que nos permita ressurgir das cinzas do abandono e da indiferença, é muito provável que nos embrenhemos pelos caminhos do crime e da delinquência.
Quantos casos tristes de criminalidade da realidade brasileira não se enquadram em relatos de infância com famílias desestruturadas, de convivência com vícios e tráfico de drogas, de pais desequilibrados e abandonos dolorosos que resultam em adultos igualmente desequilibrados e normalmente envolvidos em quadros de crimes e dificuldades enormes de convivência social?
Pois um filme notável lançado em 2010 traz um quadro que modifica uma situação que poderia resultar num adulto envolvido com a criminalidade. Uma atitude corajosa tira um jovem das ruas e altera sua vida para o bem e para a dignidade. Com 120 minutos e distribuído pela Warner Bros, o filme Um sonho possível é emocionante e faz pensar em nosso papel de cidadãos e o dever da solidariedade.

Trago aos leitores a sinopse do filme: o adolescente Michael Oher (QUINTON AARON) sobrevive sozinho, vivendo como um sem-teto, quando é encontrado na rua por Leigh Anne Tuohy (SANDRA BULLOCK). Tomando conhecimento de que o garoto é colega de turma de sua filha, Leigh Anne insiste que Michael — que veste apenas bermuda e camiseta em pleno inverno — deixe-a resgatá-lo do frio. Sem hesitar por um momento sequer, ela o convida a passar a noite em sua casa. O que começa com um gesto de bondade evolui para algo maior, pois Michael passa a fazer parte da família Tuohy, apesar de terem origens bem diferentes. Vivendo no novo ambiente, o adolescente tem de encarar outros desafios. E à medida que a família ajuda Michael a desenvolver todo o seu potencial, tanto no campo de futebol americano quanto fora dele, a presença de Michael na vida da família Tuohy conduz todos por uma jornada de autodescoberta.
Belíssimo filme. Não deixe de ver. Inspirado numa história real, é bem o exemplo forte e marcante do que um simples gesto de bondade pode fazer. Pode-se dizer, sem medo de errar, que é um caso extraordinário de autêntica caridade. Não a que dá das sobras, mas aquela que estende as mãos verdadeiramente e recupera a dignidade através do estímulo e do apoio que entende e estimula.
Procure o trailer na Internet e veja o filme. É realmente marcante.
Agora, concluindo, quando pensamos em tudo o que já conhecemos do conteúdo oferecido pela Doutrina Espírita e pelo Evangelho, percebemos o quanto ainda somos teóricos diante da mensagem de caridade autêntica que o filme oferece. É exemplar o comportamento corajoso e estimulador da mãe do garoto, na trama que vamos assistir. Aí percebemos o alcance da caridade em toda sua extensão.