18/09/2010

Plantamos? Colheremos.


Há pessoas que se sentem desanimadas, desmotivadas, tristes. Talvez tenham esquecido de plantar alegrias... Muitos enfrentam a solidão, a indiferença; possivelmente esqueceram igualmente de plantar a amizade, o afeto.

Por outro lado se semearmos agora a intriga, a calúnia, a maledicência, estaremos envolvidos, no futuro, com os efeitos dessa semeadura.
Não tem jeito, é da lei da vida. Plantou, colherá. Não há como ser diferente: uma plantação de milho resultará em milho; uma plantação de bananas resultará em colheita de bananas.
Se na própria agricultura, os resultados já são esperados, o mesmo ocorre na vida moral. Vidas sem disciplina, sem alegria, sem afetos, sem respeito, sem trabalho, vai resultarão em colheitas de amargura e dor.
Até por uma questão de inteligência, é preciso, então, desde agora, começar uma semeadura de coisas boas. No futuro tais sementes frutificarão em resultados de felicidade e harmonia.
Essa plantação está em tudo. Iniciemos por procurar falar apenas frases construtivas, a calar o palavrão. Esforcemo-nos por sufocar o pessimismo, a calúnia, retirando-os do comportamento. Deixemos de lado a tristeza, a mágoa, a esperteza que prejudica terceiros. Igualmente procuremos ser mais gentis, mais atenciosos e bondosos, fraternos e participativos.
Essas atitudes, esse treino de mudança no comportamento, resultarão em colheitas de harmonia, paz e felicidade no futuro, que, inclusive, poderá ser breve. Basta investir moralmente no bem, na harmonia, na serenidade.
Não tem jeito, é da lei da vida. Tudo que plantarmos, colheremos.
Observemos a vida como está hoje. Que tipo de colheita estamos colhendo? É de dificuldades, tristezas, relacionamentos difíceis, limitações, carências? Possivelmente semeamos isso ao redor dos próprios passos. Estamos colhendo...
Como desejamos colher progresso e recursos para vivermos em harmonia e serenidade, iniciemos desde já a semeadura.
Alguém perguntaria, mas onde? Como iniciar?
É principalmente nos relacionamentos. A vida devolver o que damos. Estamos oferecendo calúnia, desprezo, indiferença, orgulho, egoísmo? Colheremos os frutos dessa equivocada semeadura.
Desejamos paz, respeito, amor? Plantemos a amizade, a simpatia, a cordialidade...
Simples, não?
Fazer o bem, respeitar, amar. Trabalhar, participar, instruir-se, disciplinar-se.
É de o nosso próprio interesse agir nessa direção. Os maiores beneficiados seremos nós mesmos.
A vida é inteligente, bondosa, carinhosa. Inclusive ensina a viver...