26/06/2011

Um clássico inesquecível e um lançamento sensacional


por Orson Peter Carrara

            A literatura espírita, como se sabe, é muito rica. A própria fonte que a inspira e a alimenta, que é a Doutrina Espírita, inesgotável por si só em sua grandeza, gera essas riquezas que comovem o coração, alimentam o intelecto e promovem nosso crescimento no caminho evolutivo.
            Sim, a literatura desenvolve o entendimento, gera as ideias, alimenta os ideais. Não é diferente com o Espiritismo, que também nasceu com livros, expandiu-se através dos próprios livros e hoje vive a realidade de ver seus fundamentos serem abordados e amplamente pela mídia em geral, inclusive com grande sucesso no cinema. Venceu-se o tempo do preconceito.
            Essas considerações surgem em virtude de duas ocorrências notáveis para o movimento espírita em geral: a reedição de um clássico e o um lançamento sensacional.
            A reedição é do inesquecível livro Memórias do Padre Germano, agora pela Editora 3 de Outubro.  Disponível também pela FEB há muitas décadas e também reeditado com nova capa em edição especial, a obra é memorável. É de origem mediúnica esta maravilhosa obra, recebida num Centro Espírita da Espanha dos fins do século XIX e compilada pela notável escritora Amalia Domingo Soler. Em estilo novelesco, o luminoso espirito Padre Germano descreve o seu trabalho de sacerdote católico, desenvolvido durante a sua última encarnação terrena, toda ela consagrada à consolação dos humildes oprimidos. Em tudo que diz há tanta religiosidade e amor a Deus, tal admiração às leis eternas e tão grande enlevo pela natureza, que, lendo os seus escritos, a criatura mais atribulada se consola, o mais céptico espírito medita, comove-se o mais insensível. O leitor encontra nesta obra uma demonstração inquestionável de que só o esforço pessoal, nobre e devotado, edifica para a eternidade, especialmente pelos atendimentos que o nobre sacerdote efetuava e descritos na obra que tem o prefácio datado de 1900. É um clássico da literatura espírita, na compilação de Amalia Soler, igualmente reconhecida e lúcida médium, com larga folha de serviços à divulgação e vivência espírita.
            Já o lançamento é da PETIT Editora. O autor espiritual é clássico: Leon Tolstói, que ditou inúmeras e valiosas obras pelas médiuns Yvonne Pereira e Célia Xavier de Camargo. Agora é a vez do belo romance Paixão de Primavera, na psicografia de Célia. Os textos de Tolstói prendem a atenção desde a primeira página, pelo estilo inconfundível e pelos vastos ensinos embutidos nos textos, que desdobram os princípios doutrinários para entendimento do leitor e, por meio dos relatos reais de vidas, exemplificam para reflexões amplas sobre a própria vida e seus desdobramentos. A obra em referência é linda, comovente, empolgante mesmo diria. Ensina muito pelos exemplos trazidos e pelos lúcidos comentários do autor, notadamente evangelizado e muito comprometido com as ações no bem e na divulgação do Evangelho de Jesus. Sugiro ao leitor não deixar de ler.
            A mediunidade é mesmo geradora dessas pérolas. Os casos extraordinários relatados pelo Padre Germano, em suas Memórias, e agora o novo romance de Tolstói, constituem mesmo duas valiosas obras à disposição do público.          
            Temos que falar do que é bom. Precisamos divulgar e isso compete a todos.
            Reli o Memórias do Padre Germano, na reedição da 3 de Outubro e pude ler também o lançamento da Petit. Ambos tocaram-me profundamente pelos ensinos que trazem. Como não falar deles? São obras para não perder a oportunidade.