04/08/2011

Mães de Chico Xavier – se não viu, veja!

Por Orson Peter Carrara
                Já está disponível nas locadoras o DVD As Mães de Chico Xavier, belíssimo filme exibindo há pouco nos cinemas. Emocionante, muito emocionante, e igualmente confortador, desejamos recomendar às famílias que o vejam.





               Impossível não se emocionar vivamente com as histórias da bela produção. Infelizmente o filme não alcançou o sucesso dos anteriores no gênero, todavia, em nada ele perde aos demais.  A mensagem de imortalidade e conforto para os casos de separação biológica pela morte, de entes queridos, é transmitida com muita competência e emoção, destacando os ensinos vivos da Doutrina Espírita e, claro, a vivência de humildade e amor ao próximo do médium Chico Xavier.
               Abstenho-me de dados do filme, pois que largamente divulgados e disponíveis na Internet. Objetivo aqui é mesmo convidar o leitor a ver o filme, mesmo que já o tenha visto, pois que a dose de emoção é muito expressiva. Por outro lado, sei do número intenso de pessoas que não viram o filme e desejo convidá-las, com empenho, para que não percam a oportunidade de viver essa bela emoção. Sim, a emoção de sentir na pele a lição viva da imortalidade e nos exemplos do querido médium.
               Fiquei sabendo que muita gente não viu o filme por medo das fortes emoções, todavia quero te convidar a dar a si mesmo esta viva emoção. É realmente forte, mas é muito confortadora. Especialmente ao leitor que já viveu a experiência da separação de entes queridos, particularmente as mães. O conforto oferecido pelo conhecimento espírita é a marca da produção, muito bem produzida.
               Os atores, uma vez mais, trazem aquela bela lição impecável interpretação.  A direção e roteiro souberam cumprir seu papel de maneira extraordinária, pois o que mais tiramos do filme é exatamente o conforto que traz, objetivo, aliás, que motivou o filme.
               É momento, inclusive, de exibi-lo nos centros, de promover encontros coletivos para ver o filme e debater seu conteúdo, o que incentiva o estudo das obras básicas.
               Veja o filme, leitor. Se você não viu, não perca, vá ver. Se você já viu, sabe o que estou falando e compreende minha sugestão da exibição do mesmo nos centros, propiciando a mais gente encontrar-se com a emoção de sentir a imortalidade.
               Nossos sentimentos são de gratidão a quem se ocupou de produzi-lo, entre os investimentos, diretores, produção e atores. A mensagem atingiu seu objetivo. Atinge o coração de forma intensa. Impossível conter as lágrimas.
               Não poderia omitir-me. Tenho que sugeri-lo aos queridos amigos em todo Brasil, pela beleza da mensagem que o filme traz.