14/11/2011

Experiência salutar


por Orson Peter Carrara

Quando garoto sempre presenciei o hábito de meus pais em ler e estudar. Estavam sempre com livros às mãos, embora não tivessem qualquer formação além do curso primário. Por outro lado, meu pai sempre me presenteou com os conhecidos gibis de Walt Disney, estimulando-me à leitura.
         
Hoje constato o quanto estes dois fatos foram importantes em minha vida. O hábito de leitura e o estímulo oferecido para ler foram vitais para que eu também me tornasse um assíduo leitor, ávido de livros.
            
Por sua vez, o hábito de leitura permanente, quase diária, incentivou o hábito de escrever, continuamente.
            
O exemplo de meus pais contagiou-me. Fiz o mesmo com os filhos, que encontram hoje facilidade para escrever, pois que também, desde pequenos, sempre estiveram envolvidos com livros e gibis.
          
 O leitor talvez estranhe porque abordo esse assunto pessoal e familiar numa coluna de jornal. É que, num país onde o hábito de leitura está muito longe dos padrões que poderiam ser considerados como ideais, o incentivo para tal prática é sempre muito bem vindo. Quem lê abre suas perspectivas mentais. Quem lê amplia todas as suas possibilidades. Então, pergunto: não é salutar incentivar as crianças para que se tornem adultos que amam a leitura?
           
 Gostaria, pois, de sugerir aos leitores que escrevam cartinhas para as crianças em fase escolar, que lhes presenteiem igualmente com livros e gibis. Isto será grande estímulo, cujas sementes germinarão gradativamente ao longo da vida, tornando-os adultos conscientes, pois que em contato permanente com a cultura disponível no planeta, especialmente se semearmos o princípio do bem e do amor ao próximo nestes seres que iniciam sua caminhada.
         
 Inclusive quero sugerir também acessarem o site do escritor Adeilson Salles, consagrado autor de literatura infantil. O site é muito bom e interativo para as crianças. Acesse e mostre a seus filhos: www.adeilsonsalles.com.br

Afinal, convenhamos, se reduzirmos as causas dos males humanos em apenas duas origens, constataremos que elas classificam-se em: a) ignorância e b) imperfeições do caráter.
        
 Ambas, como é fácil de constatar, podem ser alteradas completamente pelo estudo permanente e a orientação segura da educação que se adquire nos bons livros e no hábito da leitura, aliado, é óbvio, pela força dos exemplos na conduta.