14/12/2011

Sensação de Natal


por  Orson Peter Carrara

                Este ambiente renovado e muito agradável de fim de ano, saturado de mais alegria e entusiasmo, motivando confraternizações, troca de presentes, providências de última hora e mesmo o engajamento em campanhas de arrecadação para instituições, formação de cestas, doações para crianças e famílias, tem uma razão muito especial.
                Apesar do aniversariante muitas vezes esquecido e substituído pelo Papai Noel, pelos exageros na alimentação e pelos fortes apelos comerciais, na verdade e na essência é a presença Dele, o Mestre da Humanidade, que inspira a fraternidade nos corações e motiva os desdobramentos próprios. Ainda que nos percamos nos apelos do comércio, na mera troca de presentes, nos enfeites luminosos e coloridos, o Natal significa vida, nascimento.  Todos nós gostamos de comemorar o aniversário, data realmente especial. Todavia, no Natal, o aniversariante maior, o condutor de nossas vidas, vem fazer morada mais próxima...
                Que bom! Jesus é a fonte de inspiração do amor. Ele ensinou a amar, semeou nos corações humanos a importância da docilidade, da bondade, do desprendimento, da renúncia, da humildade. Em todos os tempos enviou representantes que falassem e nos recordasse os imperativos do amor e da concórdia. Mesmo assim, veio pessoalmente, modificou a história e revolucionou o pensamento.
                Na verdade, nos fez enxergar a importância do perdão e da solidariedade. Ainda que resistamos a seus amorosos apelos, mesmo assim permanece conosco, sem violentar nossa liberdade de escolha. Mesmo esquecido, tendo seu nome usado e explorado, mesmo assim não desiste de nós, seus irmãos em aprendizado.
                Aprendamos a buscá-lo mais intensamente. Convidemos para que faça morada em nosso coração e, por extensão, em nossa família, em nossa casa. Ele atende, está sempre presente. Os desajustes da vida humana se devem ao desprezo ou ao desconhecimento do que Ele ensinou.
                Agora que as alegrias do Natal se renovam, pensemos nele com carinho e gratidão. Quanto não tem lutado para que estejamos bem? Quanto não tem se dedicado para que a humanidade desperte do materialismo?
                Pelo menos por gratidão a essa incomparável presença, que nos conhece individualmente pelo nome, ergamos o coração na confiança em Deus e transformemo-nos para melhor, dia-a-dia. Estampemos alegria e esperança, tornemo-nos semeadores do bom ânimo, da coragem, do bom humor, para que sua presença faça morada em nosso coração. Isso, claro, a partir de nossa família, na intimidade de nós mesmos, para que essa energia renovadora se estenda pelo quarteirão, pela cidade, pelo país, pelo planeta.
                Tudo pelo simples fato de sabermos de sua grandeza, bondade e presença!
                Obrigado Mestre Amado! Supre nossas deficiências morais, ajuda-nos a vencer nossas tendências egoísticas e muitas vezes agressivas e coloca nossos passos no caminho o bem. Somente assim seremos mais felizes e equilibrados.