18/01/2012

Retorno garantido

por Orson Peter Carrara
Questiona-se, com constância, sobre a vida e seus desdobramentos. Estas reflexões normalmente levam à análise do comportamento humano, muitas vezes caracterizados pelo egoísmo ou pela vaidade, pela indiferença e mesmo pela ingratidão. Isso não quer dizer, em absoluto, que não encontremos atitudes altruístas, generosas, desprendidas do interesse próprio e voltadas para o bem coletivo. Seria injustiça qualificar as atitudes sob um único modelo. Há muita fraternidade, sim, embora discreta. Aliás, qualidade da própria virtude de quem faz o bem sem querer aparecer.
Porém, na área dos questionamentos, a ingratidão sempre surge. Cria-se uma expectativa de retorno, que não ocorre. E com essa indiferença, surgem as decepções, frustrações e até mesmo abandono de compromissos abraçados com expectativas de retorno, sob o ponto de vista de quem cria a expectativa.
Experimentemos, porém, agir diferente. Notaremos que tudo que oferecemos à vida, ela devolve-nos.
Ofereçamos a amizade e teremos muitos amigos. Estejamos a sorrir e cumprimentar as pessoas, e receberemos a gentileza, o cumprimento, o sorriso. Estejamos atentos e receberemos atenção.
Da mesma forma, usemos de bondade e seremos tratados com bondade. Usemos da caridade no relacionamento e estaremos sempre cercados de cuidados. Respeitemos e seremos respeitados. Socorramos a necessidade que ombreia conosco e jamais ficaremos desamparados.
O oposto também é verdadeiro. Sejamos rudes e a vida nos devolverá a rudeza que distribuímos. Sejamos indiferentes e receberemos indiferença. Desrespeitemos e seremos desrespeitados. É uma lista interminável nas duas opções de escolha: aquela de procurarmos ver o bem onde nos encontramos e aquela de só procurarmos defeitos alheios e razões para criticar ou censurar.
É interessante que quanto mais censurarmos, mais nos acostumaremos a censurar; quanto mais reclamamos, mais aprenderemos a reclamar e mais reclamações estarão em torno de nós. E da mesma forma, quanto mais ações nobres praticarmos, mais habituados estaremos na prática do bem e da boa convivência.
É o retorno garantido que a vida oferece a tudo que fazemos. Tudo mesmo. É a lei de ação e reação, incorporada aos ensinos do Espiritismo, pois que lei da vida, pela lógica que traz em si mesma. Tudo que fazemos, de bom ou de mal, retorna a nós mesmos. Se distribuímos alegria, teremos alegria a nossa volta. Se somos promotores de perturbações, estaremos sempre envolvidos com perturbações...
E é exatamente esta lei que determina o mecanismo da reencarnação. Em cada existência estamos acompanhados dos recursos ou obstáculos que nós mesmos construímos. Somos os verdadeiros construtores de nossa felicidade ou de nossa intranquilidade, recebendo de retorno exatamente aquilo que semeamos. E isto ocorre nesta existência mesmo ou surge como bagagem que recebemos ou levamos...