28/03/2012

Fenômeno sutil


 por Orson Peter Carrara


                Uma ocorrência feliz, que poderia ser considerada mera coincidência ou fruto do acaso, indica bem o que são as forças positivas da vida conspirando a nosso favor.
                Desde agosto do ano passado mantenho em Matão um programa diário de rádio, de apenas 2 minutos – e que o leitor pode ouvir pela internet no www.saudadesfm.com.br –, de segunda a sexta, por volta de 6,57h da manhã. Referido programa tem o título de Alegria de Viver e divulga mensagens de esperança, motivação, convidando-nos à alegria de viver, como o próprio nome indica.
                Tenho 80 programas gravados, cujas gravações foram feitas em 4 oportunidades distintas, aleatórias, e apresentados na sequencia da gravação, constantes que estão em pastas nos arquivos digitais da emissora. Esgotados os arquivos, eles estão sendo reapresentados e breve deverei gravar novos programas inéditos.
                Ocorre que na terça-feira, dia 27 de março, foi apresentado o programa cujo tema é a paciência. Com considerações sobre a potente virtude, ao final homenageio meu pai, Roberto Pasqual Carrara, que voltou à pátria de origem há dez anos. Cito que nunca o vi perder a paciência, homenageando-o e enviando-lhe abraço no ar, de gratidão, saudade e carinho, pelas ondas da emissora, como autêntico exemplo de alguém paciente.
                Mas qual o detalhe sutil? Dia 27 é seu aniversário. Se estivesse fisicamente entre nós, faria 80 anos. Faz dez anos que ele partiu, exatamente no dia 1 de abril de 2000, quando tive a oportunidade de escrever a crônica: Meu velho pai!
                Seria exatamente uma coincidência? Claro que não! Foi uma verdadeira homenagem a todos nós, à família, a ele mesmo, um incentivo para mim, como que demonstrando a sintonia e laços da família no mesmo ideal. Como, exatamente no dia do aniversário dele dar certo de ser transmitida a mensagem  que o homenageia, se não houve qualquer combinação para isso, nem pretensão, ou qualquer planejamento para tal?
                Mas esse é um fenômeno que alterou a sequencia na programação da emissora? Em absoluto, não! Não e não! Alguém poderia, ingenuamente argumentar: seu pai ou os espíritos foram lá na emissora e fizeram dar certo cair exatamente no dia do aniversário dele a mensagem que você o homenageia? Não! Em absoluto.  O que aconteceu, então?
                Isto é apenas uma demonstração viva, um fenômeno sutil, de como a vida conspira a nosso favor. As leis de atração, embasadas na sintonia do ideal, nos laços de afeto, promovem isso, que não ocorreu no dia. É fruto de uma atração fluídica natural, das próprias leis da vida, que fizeram coincidir, aparentemente, a data do aniversário – de 80 anos – com a homenagem por meio da mensagem. E essas leis, que funcionam automaticamente, por força dos fortes laços de sintonia entre duas almas afins – com desdobramentos familiares –, agiram antecipadamente para a ocorrência feliz. É mesmo um fenômeno sutil.
                Claro que isto surpreendeu toda a família. Particularmente, foi enorme estímulo. É como se estivesse ali, abraçando-me e dizendo: Estou aqui, continue meu filho!
                Espanto ou incredulidade, ironia ou sarcasmo do leitor? Não me importo, pois afinal, quem não está no contexto, não tem mesmo condições de alcançar o que tentei aqui expressar. Para quem entendeu, é fácil compreender a patente realidade da vida que nunca se extingue e se expressa de variadas maneiras, do sutil ao explícito, convidando-nos a prosseguir, destemidos e determinados no ideal de aprender, progredir e enxergar além das frágeis e ilusórias aparências da vida material.