19/02/2013

Miseráveis!

 Orson Peter Carrara

            Fui ver o filme Os Miseráveis. Que filme! Que obra prima do cinema! Adaptação de musical da Broadway, que por sua vez foi inspirado em clássica obra do escritor Victor Hugo.

A história se passa em plena Revolução Francesa do século XIX. Jean Valjean (Hugh Jackman) rouba um pão para alimentar a irmã mais nova e acaba sendo preso por isso. Solto tempos depois, ele tentará recomeçar sua vida e se redimir. Ao mesmo tempo em que tenta fugir da perseguição do inspetor Javert (Russell Crowe).

            Sendo no gênero musical, os diálogos são cantados pelos personagens, mas a história é linda, as músicas envolventes e impactantes, no estilo forte. Com 157 minutos de duração, foi produzido em 2012 e estreou agora no início de fevereiro de 2013, contando já com indicações para o OSCAR de de Melhor Filme, Melhor Figurino, Melhor Maquiagem, Melhor Canção Original, Melhor Direção de Arte, Melhor Edição de Som, Melhor Ator (Hugh Jackman) e Melhor Atriz Coadjuvante (Anne Hathaway).

            Com muito empenho indico aos amigos. A cena final é emocionante demais e desperta sentimentos incomparáveis, principalmente por realçar a imortalidade da alma e o amor que unes os seres humanos, especialmente o amor de verdade, aquele que compreende e ampara como é o caso da história, cuja postura de um padre foi capaz de mudar a vida de um homem. Ao mesmo tempo a personagem beneficiada pela ação deste homem que mudou a própria vida, vem recebê-lo nos portais da imortalidade. Muito comovedor. Levou-me às lágrimas por pensar o quanto é importante que tais ideias sejam espalhadas pelo coração humano.

            Não deixe de ver. É filme para marcar época, para ficar na memória para sempre. As emoções e as reflexões decorrentes são mesmo incomparáveis.