10/09/2013

Normas básicas de felicidade própria e dos semelhantes

O leitor já pensou num roteiro a seguir para construir a própria felicidade e igualmente espalhar felicidade ao seu redor?
Pois o personagem Jorge, do fabuloso livro O Dono do Amanhã, editado pelo IDE-Araras e de autoria da sempre inspirada mente do notável amigo Wilson Frungilo Jr. deixou algumas normas básicas para a felicidade própria e ao seu redor.

Entre elas estão (transcrevo parcialmente):
1 – Atenção para com as pessoas;
2 – Polidez, afabilidade, doçura, mansuetude;
3 – Paciência, tolerância e compreensão;
4 – Contenção da cólera e da violência;
5 – Perdoar;
6 – Procurar, ao invés de reclamar, resolver;
7 – Não julgar e não tecer comentários sobre o próximo;
8 – Ter fé em Deus;
9 – Orar, entrando em sintonia com o Criador;
10 – Humildade;
11 – Lembrar que sempre é tempo de recomeçar;
12 – Prestar auxílio aos necessitados;
13 – Colocar-se na posição dos que sofrem, a fim de compreendê-los, ajuda-los.

Na verdade, são 21 itens. Coloquei os principais. A lista pode ser ampliada ou reduzida, segundo a visão e propósitos do leitor. O fato final, porém, é que o livro é de uma leitura deliciosa, apaixonante. A partir de um caso de amor na adolescência, os fatos se sucedem entre os personagens, trazendo reflexões expressivas para o cotidiano de todo nós.

Adorei o livro. O texto muito me sensibilizou, especialmente pela bondade do personagem Jorge, que modifica situações – inclusive de calúnias que ele mesmo sofreu sem saber – e influencia pessoas ao seu redor de maneira impressionante, pelo esforço que empreendeu em si mesmo para melhorar-se moralmente e ainda ser útil a outras pessoas, traduzindo uma história comovente, gostosa de ler e daquelas que não se tem vontade de parar.

Não pude silenciar-me diante de tão especial livro.  Conforme ia lendo, fiquei a pensar em quanta gente o livro pode ajudar. Especialmente os que se debatem nas dúvidas, na descrença, nas indecisões e nas aflições comuns do dia-a-dia. Fabulosa obra.

Pedi autorização à editora para transcrever parcialmente as normas de Jorge constantes do capítulo 18, para incentivar o leitor a não perder a oportunidade de ter em mãos uma obra muito oportuna, útil e capaz de proporcionar imensa sensação de felicidade com o comportamento autenticamente cristão do principal personagem. Não deixe de ler, vai te fazer um bem imenso.