21/01/2014

Curiosidades da cidade de São Paulo

Orson Peter Carrara
                 
A maior cidade do país e da América Latina alcança 460 anos de fundação, comemorado agora em 25 de janeiro. Foi em 1554, por ação dos padres jesuítas. Com mais de dez milhões de habitantes, a cidade apresenta números surpreendentes que, entre outros, merecem ser apresentados ao leitor, até como forma de homenagem à cidade.
                
Os números são facilmente encontrados em sites, mas aqui privilegiando o leitor não habituado às pesquisas do gênero, optamos por selecionar alguns dados. Acompanhe comigo, considerando que os dados abaixo já estão desatualizados, face ao crescimento da cidade, contínuo e dinâmico:
                
São aproximadamente 410 hotéis, 12 mil restaurantes, 3.200 padarias, 15 mil bares, 500 churrascarias, 160 teatros, 110 museus, 40 centros culturais, 260 salas em 55 cinemas, 294 salas de shows e concertos, 64 parques e áreas verdes, 1.000 academias de ginástica, 12 clubes de golfe, 7 estádios de futebol, 1 autódromo internacional, 90.000 eventos por ano, 240 mil lojas, 79 shoppings, 4 mil farmácias, 900 feiras livres semanais, 1.931 agência bancárias, 34 mil indústrias, 37 mil táxis, 15 mil ônibus urbanos, 1.335 linhas urbanas de ônibus, 5 linhas de metrô, 55 estações de metrô, 40 hospitais públicos, 61 hospitais particulares, 93 distritos policiais, 146 faculdades, 26 universidades, 1.500 pizzarias (um milhão de pizza por dia, 720 por minuto), 280 salas de teatro (600 espetáculos teatrais, em média, por ano). E ainda podemos acrescentar o Terminal Rodoviário Tietê, um dos maiores do mundo, com seus números igualmente estrondosos.

E tudo isto sem citar dados do turismo na cidade, dados educativos, médicos, de produção industrial, indicadores e valores econômicos, instituições religiosas, filantrópicas e suas atividades, distribuição demográfica e social e muitos outros dados que possamos pesquisar e acrescentar. E se buscarmos visualizar a Grande São Paulo, com os municípios praticamente emendados à grande cidade, teremos a gigantesca aglomeração urbana, com todos os seus desdobramentos e novos números assustadores e surpreendentes.

É o progresso, é o dinamismo da própria vida, onde todos vamos aprendendo, desenvolvendo o intelecto e a emoção. A evolução faz isso, vai trazendo novas conquistas, exigindo novas posturas, ampliando o entendimento das várias questões humanas e seus desafios nas diversas áreas que queiramos analisar e refletir. Numa seleção como a acima, são números surpreendentes que sofrem modificações a cada segundo, mas frios, apenas estatísticos. Coloque-se neles a participação humana, com a criatividade e imaginação que nos são tão próprias, com todo o dinamismo que impulsiona as ações humanas para o bem estar, a fraternidade, a justiça, o progresso.

Isso traz a dimensão das infinitas possibilidades colocadas em nossas mãos em todas as áreas do conhecimento e das atividades em geral. Apesar dos números tristes também das tragédias, de acidentes, homicídios, roubos e tudo o mais que a mídia tanto destaca diariamente, essa movimentação toda – nos sentidos positivo e negativo – é a ferramenta que movimenta e transforma a mentalidade humana. São aprendizados e desafios necessários. Não há outra maneira de evoluir. O tema sugere gratidão à vida e indica muito trabalho pela frente. Mãos à obra, pois.