17/03/2015

Decisão triste!

Por Orson Peter Carrara



Comunicamos, com imensa dor emocional, a extinção de atividades do Lar Espírita José Gonçalves – em Mineiros do Tietê, no interior paulista –, departamento de assistência a idosos em desamparo, no regime de internato, fundado em 25/06/1940 (com inauguração em 09/11/40) como departamento do Centro Espírita Francisco Xavier dos Santos, na mesma cidade, este fundado em 22/03/1923.


O fato se deve à impossibilidade de cumprimento da legislação em vigor, pertinentes à atividade, cuja exigência quanto ao quadro de funcionários especializados na área de assistência à população atendida, inviabiliza a manutenção financeira da instituição. O fato se agrava pela instituição localizar-se em cidade pequena, de quase nulos recursos que possam vir de empresas ou da população e que viabilizam manter a instituição em funcionamento no atendimento das exigências legais. Isso sem citar a reduzida equipe envolvida.
Foram 75 anos de trabalho árduo, que partiu do entusiasmo e desejo sincero de servir de seus idealizadores, desde a fundação da instituição mãe, em 1923. Inspirados pelo ideal espírita na prática da caridade e, considerando a realidade da época, optaram pela formação de um lar que acolhesse idosos desamparados. O ideal foi concretizado a partir de 1940, de onde se desdobraram através do tempo as lutas para a construção da nova sede – esta inaugurada em 1974 e algumas reformas posteriores – e esforços continuados que fizeram-na atingir os 75 anos de atividade. Dedicados seareiros trouxeram seu labor e seu empenho nessas décadas de assistência que acolheram inúmeros idosos que, por razões diversas, estiveram acolhidos em sua sede, tornando a instituição conhecida e muito respeitada na cidade.
O tempo provoca mudanças substanciais nas circunstâncias e também atingiu nossa época com alterações estruturais em todos os setores da sociedade, como se pode verificar atualmente, inclusive na realidade do acolhimento de idosos em desamparo, na legislação específica.
Apesar da dor e tristeza que envolve o fato, esse comunicado não é um lamento, pois que a decisão foi tomada em assembleia, com participação lúcida e amparada por assistência jurídica. Na análise das alternativas, concluiu-se com facilidade que a melhor postura – até pela nova realidade dos dias atuais – era mesmo extinguir o departamento citado.
Passados os primeiros impactos, percebe-se que a ocorrência abre outras perspectivas para a instituição, sua história e seus integrantes. Sua atual diretoria recebeu total apoio de amigos vinculados à história da instituição e houve uma boa sintonia no sentido da decisão final.
Os desdobramentos jurídicos, administrativos e humanos que envolvem a demissão de funcionários e mesmo a transferência dos internos para entidades congêneres, seguirão com tranquilidade para não haver qualquer tipo de abalo e a previsão é que as atividades sejam encerradas em definitivo em 90 dias. Após todos os procedimentos que forem exigidos, naturalmente que a diretoria estudará novas diretrizes na utilização do espaço e mesmo o aprimoramento da atividade em outra área, adaptando-se em sua finalidade com o novo tempo.
Aqui cabe imensa gratidão aos pioneiros, continuadores e atuais dirigentes e trabalhadores, funcionários e mesmo aos acolhidos que ali residiram, muitos deles marcantes e inesquecíveis que não caberiam numa breve apreciação. E também aos poderes públicos e à população e empresários que nunca deixaram de atender aos apelos em favor da instituição.
É um fato novo, impactante, sem dúvida, mas necessário. A cidade pequena, sem recursos, a reduzida equipe e o teor das alterações na legislação levaram a esse termo. Como devemos cumprir a lei, é melhor encerrar atividades que descumprir a lei. E tais alterações não devem ser vistas como cruéis. Elas visam proteger o idoso, priorizam a família que, no entender do estado, deve responsabilizar-se pelos próprios idosos. É uma evolução, sem dúvida. São novos tempos, que precisamos aprender a viver.
Para nós, fica a história, a experiência, o aprendizado; ficam as memórias...
Um detalhe significativo é que este comunicado é publicado no dia 21 de março de 2015, véspera da data de fundação da mantenedora do Lar, o Centro Espírita Francisco Xavier dos Santos, em 1923.



Vídeo Publicado em 13 de out de 2013