30/06/2015

Mudança de pensamentos

Orson Peter Carrara
Normalmente nos escravizamos aos condicionamentos mentais. É do ser humano fixar-se em determinados pontos de vista, que se condicionam, viciam, e como resultado colhemos os desdobramentos próprios da teimosia ou da rebeldia, do egoísmo e da vaidade, ou ainda da ganância, das manias e tudo o mais que todos conhecemos.
O pior é quando ruminamos situações, fazendo reviver mágoas guardadas e acumuladas, medos e traumas que retornam em situações que estabelecem alguma conexão com fatos vividos no passado ou em época recente. Basta um nome, uma lembrança, uma citação e pronto! Está estabelecida a conexão que faz ressurgir a mágoa e a raiva e até mesmo o desejo de vingança, com o consequente prejuízo da saúde.
Na verdade tudo está nos pensamentos, na maneira como o administramos para nos livrarmos dos vícios e condicionamentos e criarmos em torno de nós mesmos um ambiente saudável que propicie tranquilidade e alegria de viver, ingredientes expressivos na superação das adversidades naturais da vida.
Um médico amigo, psiquiatra, trouxe uma receita que pode ser usada em qualquer situação e favorável à mudança dos pensamentos, interrompendo o condicionamento mental. Sugeriu ele, em conversa informal em sua casa quando nos hospedou em Cascável-PR, que o grande segredo está em selecionarmos uma lembrança que nos traga grande felicidade. Pode ser um ocorrência, uma vivência, a recordação do filho, do neto, do cônjuge, não importa... O importante é que seja algo ou alguém que nos traga imensa felicidade.
Aí é preciso o treino: toda vez que vem o pensamento ruim ou a maledicência, a raiva, a irritação ou mesmo a tristeza, buscarmos aquela recordação feliz que selecionamos.
Esse treino permanente condicionará o cérebro para interromper as lembranças amargas e que trazem aqueles traumas ou mágoas de volta. E mesmo cortará o circuito de tristeza ou de desânimo. A persistência alcançará o êxito de eliminarmos esses condicionamentos ruminantes do sentimento.
Faça o teste, leitor. Já o apliquei em mim mesmo com excelentes resultados.
É o exercício da renovação mental e moral que tanto precisamos para viver com mais equilíbrio e melhores a cada dia.
Considerando o volume de pensamentos e situações diárias, com pressões de todo tipo é bom escolher um motivo ou recordação bem feliz da própria vida para tê-lo como ativo vigilante de pensamentos invasores que tentam desestabilizar a paz que precisamos para vivermos saudáveis, construindo e mantendo a própria integridade e ao mesmo tempo distribuindo paz e harmonia aos que convivem conosco.