04/08/2015

Sem desânimo

 Orson Peter Carrara

Quando você se observar à beira do desânimo, acelere o passo para frente, proibindo-se parar.
Ore, pedindo a Deus mais luz para vencer as sombras.
Faça algo de bom, além do cansaço em que se veja.
Leia uma página edificante, que lhe auxilie o raciocínio na mudança construtiva de ideias.
Tente contato de pessoas, cuja conversação lhe melhore o clima espiritual.
Procure um ambiente, no qual lhe seja possível ouvir palavras e instruções que lhe enobreçam os pensamentos.
Preste um favor, especialmente aquele favor que você esteja adiando.
Visite um enfermo, buscando reconforto naqueles que atravessam dificuldades maiores que as suas.
Atenda às tarefas imediatas que esperam por você e que lhe impeçam qualquer demora nas nuvens do desalento.
Guarde a convicção de que todos estamos caminhando para adiante, através de problemas e lutas, na aquisição de experiência, e de que a vida concorda com as pausas de refazimento das nossas forças, mas não se acomoda com a inércia em momento algum.


O autor dessa reconfortante mensagem é André Luiz/ Chico Xavier. Compacta e simples, ela vai direto ao coração. Transcrevemo-la na íntegra com o intuito de oferece-la às pessoas que enfrentam adversidades expressivas nesse momento de suas vidas, para que nunca se sintam desamparadas e acima de si mesmas, levantem a cabeça e prossigam destemidas, pois que a vida conspira a nosso favor.
Todavia, destaco ao leitor o final do texto: a vida concorda com as pausas de refazimento das nossas forças, mas não se acomoda com a inércia em momento algum.

Por isso nada de se entregar, parar, interromper. A ordem da vida é seguir adiante, apesar das dificuldades, pois é exatamente no prosseguir que encontramos as forças que necessitamos. E sempre há caminhos que nos façam enxergar além da moldura, daí as recomendações do autor do texto para que saiamos de nós mesmos e procuremos quem precisa mais do que nós.