22/03/2016

Enxergando mais além

 Orson Peter Carrara

O cenário político brasileiro, agravando outros aspectos da vida nacional, atravessa sua maior crise de credibilidade com desdobramentos nunca imaginados. Não é preciso relatar nenhum dos detalhes, já que intensamente explorados e divulgados pela mídia, à disposição de toda a nação, com somatórios diários resultantes das investigações. Isso tem trazido sucessivos desgastes sociais, com disputas que poderiam ser evitadas caso o interesse fosse o bem da nação, ao invés da luta por partidos, legendas e pessoas, que podem ser facilmente contaminados pelas imperfeições morais próprias do estágio evolutivo que nos encontramos.

O interesse pelo bem da nação, todavia, está acima de partidos, legendas e políticos, uma vez que a fraternidade convida a essa superação de interesses para que o bem geral prevaleça.
Olhemos além das aparências e dos fatos correntes, todavia. Enxerguemos com o olhar de futuro, analisemos sob o ponto de vista da Lei de Progresso que rege a vida continuamente.

Vamos direto à questão 783 de O Livro dos Espíritos, exatamente no capítulo Da Lei do Progresso. A questão indaga sobre a marcha do progresso para aperfeiçoamento da Humanidade. A resposta abre uma perspectiva imensa de análise. Informam os Espíritos:

“Há o progresso regular e lento, que resulta da força das coisas. Quando, porém, um povo não progride tão depressa quanto devera, Deus o sujeita, de tempos a tempos, a um abalo físico ou moral que o transforma.”

Convenhamos, vivemos um abalo moral. Estávamos acomodados na cômoda situação do “jeitinho brasileiro”, da corrupção constante, dos desvios, das manipulações de bastidores, procedimentos ainda comuns a todos nós, espíritos em aprendizados. Isso impedia uma visão ampliada das propostas da Lei do Progresso, tão bem expressas nas questões 776 a 802 da citada obra.

Sem medir a extensão do que está ocorrendo no Brasil, sem apontar culpados ou defender e acusar uns e outros, pois que este não é o objetivo, já que ambos os lados tem suas razões, argumentos, envolvendo uma série de situações contra e a favor desse ou daquele, pois que isso é da alçada da justiça, humana (essa considerando a investigação, as provas e julgamentos baseados na lei vigente)  e divina (essa, perfeita, justa e misericordiosa, levando mais em conta a intenção que o fato em si), no devido tempo nos colocará a todos na posição que precisamos para vencer nossas imperfeições e para atender nossas necessidades de aprendizados, face às lesões ou prejuízos que tenhamos causado a nós mesmos e ao próximo, considerando que o grande tribunal está em nossa consciência, consideremos um outro aspecto.

O que ocorreu e está ocorrendo levará a uma grande revisão de nossa legislação, em vários ângulos e sentidos. E mesmo na Constituição Federal. Afinal, as brechas e imperfeições constantes da lei permitiram esse estado de coisas, exigindo agora rever, aprimorar.

Isto é Progresso. Isto é a Lei de Progresso agindo na mentalidade e na consciência nacional.

Enquanto se travam as disputas jurídicas – das brechas e imperfeições das leis, repetimos – a nação fica entregue ao esquecimento de suas verdadeiras necessidades, especialmente em primeiro lugar, a educação, que fará um povo instruído e justo.

Mas como a lei é a lei, ninguém dela escapa. E aqui falamos das Leis Divinas, e não com sentido punitivo, mas no sentido de seu dinamismo e constância para conduzir os protagonistas da evolução.

Por isso a sabedoria da resposta dos Espíritos na questão 783: “(...). Quando, porém, um povo não progride tão depressa quanto devera, Deus o sujeita, de tempos a tempos, a um abalo físico ou moral que o transforma.”

Esses episódios todos, desgastantes sem dúvida e próprios de nossa condição moral, são alavancas de um novo tempo. Um tempo de aprimoramento moral, a começar pela legislação que não pode favorecer uns e outros, afinal não diz a Constituição que “todos são iguais perante a lei”? Isso é lei humana e já consegue definir assim. Já foi um progresso, mas ainda não conseguimos cumpri-la nem respeita-la. Então um abalo moral faz a gente pensar e repensar. Bendita lei de progresso!

Enxerguemos, pois, mais além! O progresso é inevitável, não podemos detê-lo. Os abalos fazem os progressos que precisamos para sair da visão distorcida...