16/11/2016

Consultas aos espíritos

Orson Peter Carrara
Allan Kardec dedicou todo o capítulo XXVI – segunda parte – de O Livro dos Médiuns para abordar o tema Perguntas que se podem dirigir aos Espíritos. O capítulo é muito rico em informações, ocupando dezenas de páginas e relacionando aspectos como Perguntas sobre o futuro, o passado, interesses morais e materiais, saúde, situação de conhecidos no mundo espiritual, invenções e descobertas e inclusive sobre outros planetas. Além disso, as observações preliminares são valiosas e mesmo sobre perguntas simpáticas ou
antipáticas a eles, os consultados.
Os itens 286 e 287 do citado capítulo são de uma lucidez e atualidade que não podem ser esquecidas, razão pela qual iniciamos nossa abordagem com essas indicações.
Todavia, apesar do embasamento doutrinário do assunto, objetivo é destacar valiosa orientação transmitida pelo Espírito André Luiz, pelo médium Antonio Baduy Filho, e constante do livro Vivendo o Evangelho, volume I. A obra foi editada pelo IDE-Araras e consta de dois volumes, ambos comentando os capítulos e trechos de O Evangelho Segundo o Espiritismo.
Baduy, o médium, é muito conhecido, é médico e trabalho muito tempo ao lado de Chico Xavier, recebendo a primeira mensagem do referido espírito em 1969. Os Espíritos Valérium e Hilário Silva também psicografaram por Baduy.
E no volume I, comentando a Introdução (os dois volumes comentam todo o citado livro da Codificação), às páginas 31 e 32 da 1ª. edição, encontramos com o título Consultas Espirituais, com uma única palavra efetuando determinada indagação que poderia nos levar a perguntar aos espíritos sobre nossa condição, situação ou expectativas, e respostas com apenas duas palavras em dez situações, há uma conclusão preciosa que culmina com o seguinte raciocínio: “(...) consultas inconvenientes aos Espíritos quase sempre acabam em respostas de Espíritos inconvenientes.”
Um enorme bom senso na resposta! Um discernimento incomparável, afinal os interesses que movem as perguntas podem ser absolutamente inconvenientes, especialmente depois de termos estudado o citado capítulo de O Livro dos Médiuns, uma vez que o teor das perguntas atrai Espíritos inconvenientes que se misturam nos ambientes e relacionamentos humanos, de vez que o conhecimento da Escala Espírita, em O Livro dos Espíritos, é bem claro (questões 100 a 113) ao demonstrar que o fato do espírito estar habitando o mundo espiritual e se comunicando não significa, em absoluto, que seja esclarecido ou bondoso. Podemos estar sendo visitados por espíritos ignorantes ou mal intencionados, que poderão responder aos interesses de nossos questionamentos.
Então, novamente a prudência é recomendada no velho quesito das consultas espirituais, pois que perguntas inconvenientes podem ser respondidas por espíritos inconvenientes.
Vamos estudar? Assim compreendemos e não corremos riscos desnecessários que levam a precipitações, fanatismo ou incompreensões sobre os espíritos a quem buscamos auxílio.