16/06/2017

Aflições, dúvidas, conforto e orientação

 Orson Peter Carrara

As aflições e dúvidas, vindas de várias fontes, constituem desafios contínuos que nos solicitam coragem, serenidade e fé, postura e decisão para tais enfrentamentos. Desde os dramas íntimos, às dificuldades de relacionamentos, aos embates profissionais, as enfermidades e lutas do cotidiano, inclusive os dramas familiares, e mesmo os questionamentos que surgem por motivos variados, trazem preocupações que chegam a afetar a saúde e a harmonia na convivência.
Para todos os casos, porém, existem o conforto e a orientação que podem ser encontradas, desde que queiramos melhorar. Afinal, quando a pessoa não quer melhorar, nós não conseguimos adquirir e saúde e harmonia para ela.

O grande segredo é viajar para dentro, numa auto-análise para identificar a causa daquilo que nos atormenta. Afinal, porque estamos irritados, desequilibrados?
Qual a motivação para tal estado de espírito?
Uma entrevista honesta conosco mesmo nos levará às seguintes indagações, entre outras:
1 – Estamos constantemente irritados e invadidos por sentimentos de desânimo?
2 – Experimentamos algum conflito interior?
3 – Estamos nos sentindo culpados por algo?
4 – Experimentamos sensações desagradáveis, episódios de insônia, interrupção do sono, cansaço ao despertar?

Nesse conjunto de sintomas, podem estar: a) um distúrbio fisiológico, a requerer uma visita ao médico; b) Um distúrbio psicológico, que igualmente solicita procurar ajuda para um aconselhamento com amigos ou ajuda profissional com um psicólogo; c) Uma influência espiritual, a pedir naturalmente uma mudança de comportamento.

Já não ignoramos que nossos pensamentos abrem comportas espirituais que facilitam o acesso de espíritos em desequilíbrio ou perturbados e mesmo desafetos por razões variadas.
Então para beneficiar-se da orientação disponíveis para sentir-se mais confortável e recuperar o conforto da convivência saudável e harmonia interior, algumas dicas:
1 – Orar mais; 2 – Desenvolver o hábito de ler uma página edificante logo de manhã; 3 – Não se deixar perturbar pelos atritos das relações humanas, pois que normais, dada nossas diferenças individuais; 4 – Frequentar o templo de nossa crença; 5 – Beneficiar-se dos recursos da água após orar e pedir auxílio com humildade.

E, ao perceber melhora, manter esse padrão vibratório de elevação, pois afinal não adianta receber aqueles recursos se mantivermos os vícios e comportamentos inadequados. Por outro lado, manter o propósito de melhorar.

O grande segredo é mesmo uma mudança de conduta. Esforço para superar imperfeições e igual esforço para aquisição de virtudes, ler, estudar, pesquisar, interessar-se e comprometer-se com as boas causas humanitárias.

Os recursos espirituais, reais e à disposição de quem os procurar, solicitam que a pessoa busque informações, se interesse pela questão e especialmente modifique o comportamento para diretamente se beneficiar deles. Independente das crenças e dos templos, eles exercem saudável influência sobre a saúde física e sobre o equilíbrio emocional, inclusive afastando indesejáveis presenças espirituais. Mas é preciso a participação daquele que quer ser ajudado. A ajuda sempre existe, mas quem busca deve participar desse processo e o segredo é a adoção de nova postura mental, mais amor no coração, dispensa de rancores e mágoas, demissão da tristeza e disposição para o bem. Tais considerações foram inspiradas no livro Vivências do Amor em Família, organizado por Luiz Fernando Lopes.